quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Armas de Paulo Jorge Coutinho Prazeres, Senescal do Grão-Priorado do México


Brasão de Armas Templárias
de Paulo Jorge Coutinho Prazeres,
Senescal do Grão-Priorado do México
e Perceptor do Estado de Queretaro de Arteaga:

Esquartelado: I - VIEIRA: campo de vermelho carregado com seis vieiras de ouro postas 2, 2, e 2; II - COUTINHO: campo de ouro carregado com cinco estrelas de cinco raios de vermelho postas em sautor; III - ARAÚJO: campo de prata com aspa de azul carregada de cinco besantes de ouro; IV - ALONSO (da Galiza): esquartelado: 1 e 4 - campo de vermelho, carregado com um castelo de ouro aberto e iluminado de azul; 2 e 3 - campo de azul com uma flor-de-lis de prata; elmo de prata de frente e forrado de vermelho; virol e paquifes de prata forrados de vermelho; timbre de VIEIRA: dois bastões de peregrino de vermelho guarnecidos de ouro cruzados em aspa sustendo uma vieira de ouro; coronel templário; pendente da Ordem do Templo (OSMTH) com troféu de ouro. Suportes: duas espadas de prata, guarnecidas de ouro, postas em guarda.


quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Armas do Grão-Priorado do Brasil



Brasão de Armas do Grão-Priorado do Brasil



Esquartelado: I e IV - Armas do Brasil Imperial;

II e III - Armas da Ordem do Templo
(campo de prata, cruz de duplo transepto de vermelho).



Estandarte Heráldico do Grão-Priorado do Brasil



Esquartelado: I e IV - Armas do Brasil Imperial;

II e III - Armas da Ordem do Templo
(campo de prata, cruz de duplo transepto de vermelho).

Armas do Grão-Priorado do México


Brasão de Armas do Grão-Priorado do México.

Segundo as regras da Heráldica e o Regulamento do Arquivo Heráldico da Ordem do Templo, foram concebidas as seguintes armas:

Esquartelado: I e IV - México: Terceado em pala, 1 - Campo de verde; 2 - Campo de prata: 3 - Campo de vermelho; sobre-o-todo brocante uma águia de ouro, armada e lampassada do mesmo; II e III - Armas da Ordem do Templo: Campo de prata com a Cruz de duplo transepto da Ordem, de vermelho. Elmo de ouro de frente gradeado e forrado de negro; Timbre: Cruz pátea (inicial da Ordem do Templo) coronel templário; paquifes de prata forrados de vermelho; suportes: duas espadas de prata guarnecidas de ouro em guarda; colar da Ordem do Templo (cruzes da Ordem ao longo dos tempos); pendente Cruz da Ordem, coroada.


sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Contacto de correio electrónico para o Arquivo Heráldico da Ordem do Templo: osmth.ahot@gmail.com

Contacto de correio electrónico
para o
Arquivo Heráldico da Ordem do Templo:
osmth.ahot@gmail.com




terça-feira, 31 de outubro de 2017

Bailiado do Distrito de Lisboa


Brasão de Armas do
Bailiado do Distrito de Lisboa

Esquartelado: I e IV - Armas da Ordem do Templo; II e III - Armas da Cidade de Lisboa


Estandarte Heráldico do
Bailiado do Distrito de Lisboa


Comendadoria de Lisboa "Conde Dom Henrique"



Brasão de Armas da
Comendadoria de Lisboa "Conde Dom Henrique"

Esquartelado: I e IV - Cruz da Ordem do Templo; II - Armas do Conde Dom Henrique, campo de prata carregado com um cruz firmada de azul); III - Armas da Cidade de Lisboa.



Estandarte Heráldico da
Comendadoria de Lisboa "Conde Dom Henrique"




Selo da
Comendadoria de Lisboa "Conde Dom Henrique"

Esquartelado: I e IV - Cruz da Ordem do Templo; II - Armas do Conde Dom Henrique, campo de prata carregado com um cruz firmada de azul); III - Armas da Cidade de Lisboa. Listel circular com os caracteres "COMENDADORIA DE LISBOA + CONDE DOM HENRIQUE"; coronel templário (florões: cruzes orbiculares dos antigos templários portugueses).



segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Comendadoria de Póvoa e Meadas "Nossa Senhora da Graça"


Armas da Comendadoria
de Póvoa e Meadas "Nossa Senhora da Graça)

Escudo esquartelado: I e IV - campo de prata com a Cruz da Ordem, de vermelho; II e III - campo de verde, feixe de três raios de ouro; em chefe, coroa mariana de ouro, entre dois ramos de oliveira de prata, frutados de ouro e postos em pala. Elmo de ouro forrado de negro; paquifes de prata forrado de vermelho; ; coronel de ouro com florões em cruzes páteas; timbre cruz pátea de vermelho, da Ordem; Suportes: duas espadas de prata guarnecidas de ouro; listel em ponta com os caracteres "PÓVOA e MEADAS"; listel de grito de guerra com os caracteres "NOSSA SENHORA DA GRAÇA".

Estandarte da Comendadoriaesquartelado: I e IV - campo de prata com a Cruz da Ordem, de vermelho; II e III - campo de verde, feixe de três raios de ouro; em chefe, coroa mariana de ouro, entre dois ramos de oliveira de prata, frutados de ouro e postos em pala.

Selo da Comendadoria


Apontamento histórico: “O foral novo, dado por D. Manuel em 1511 à Póvoa, vem, de certo modo, corrigir alguns abusos dos senhorios. É também neste foral que se estabelece de forma definitiva a junção das Meadas à Póvoa, pois nele se lê. «...este foral dado à nossa villa de Póvoa e Meadas....», culminando, assim, um longo processo de progressivo esvaziamento das Meadas e, como consequência, a sua gradual dependência face à Póvoa.

A designação Póvoa e Meadas aparece, pois, pela primeira vez, em 1511 e voltaremos a encontra-la em 1549 na Bula «Pro excellenti apostolicae sedis», pela qual o Papa Paulo III cria, em 21 de Agosto a diocese de Portalegre.....” (in “Póvoa e Meadas – Um olhar sobre a sua história" de Jorge Rosa).

“Cremos, pois, que a Póvoa terá sido fundada pelos Templários em redor da dita igreja do Mártir Santo, (actual Igreja da Misericórdia) entre, pelo menos 1278 e 1372 data da sua doação, juntamente com as Meadas, a Álvaro Mendes de Cáceres, fidalgo castelhano, que veio para Portugal ao serviço do nosso rei D. Fernando.”


Armas Simples